Se calhar já toda a gente

disse tudo o que havia para dizer acerca das caricaturas de Maomé. Qual foi o problema? Ter-se feito, na Europa que lhes abre as portas e os recebe aceitando a sua religião, os seus rituais, os seus hábitos, os seus modos de estar, na Europa onde ainda há liberdade de expressão um cartoon ou doze, pouco importa, que caricatura uma imagem que para muitos não pode sequer ser reproduzida. Mas não pode ser reproduzida por quem acha que não pode. Para outros o cartoon "constitui um dos melhores barómetros da consciência".
Ou será que o problema foi outro? Sei lá, a vitória do Hamas a dar força ou a aquecer as costas a quem parece ter apenas estado à espera de um pretexto para armar confusão.
É impossível ser-se objectivo; de um lado temos o respeito pela religião, de outro a liberdade de expressão. Neste caso, que factor está a entrar pelo campo do outro? Eu diria que é o fundamentalismo, mas será que é por ser europeia e ateia?

1 Comments:

Blogger Humberto Coelho said...

Mas não é por se ser ateu que se terá, naturalmente, uma maior tendência para se defender o respeito pelas sociedades multi-culturais??? Se alguém deu provas dessa falta de respeito, ao longo dos séculos, foram as religiões.

E onde fica a ética jornalista em toda essa história? Não têm valor??

Só falta mesmo alguém dizer que a ética funciona contra a Liberdade. Já não me admirava nada...

fevereiro 14, 2006 12:03 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home